A Banda Mais Bonita da Cidade

Em primeiro lugar comecei a escrever 4h20 da matina, e eu realmente não ia postar nada hoje, e por um certo tempo, estou passando por uma fase meia trancedental e sem contar que eu estou trabalhando no pior (ou melhor, para alguns) horario de trabalho possível, é, aquele horario em que até o seu cachorro dorme, menos voce, o de ZERO HORA.

A parte boa é que não tem chefe e muito menos patrão para atormentar sua sagrada vida (só espero que ele não descubra meu blog, por isso não vou fazer Merchan da empresa em que eu trabalho, assim posso falar mal deles por mais um tempo).

Bom, assim que chegou o Estado de S. Paulo aqui no trampo, primeiro, tomei o maior susto, por que os infelizes conseguem jogar o jornal bem na maldita porta de vidro, isso faz o maior barulho e assusta qualquer um ser que tenha alma.

Começando a folear o jornal , chego até a página “LINK” (todo bom nerd ama essas últimas páginas, vi que já tinha saído uma matéria falando da Banda Mais Bonita da Cidade, fiquei impressionado, pelo tempo que o video está no ar e o sucesso que ele está fazendo e todos os mimimis.

Para quem está se perguntando, “Mas que diabos você está falando”, ai vai o vídeo mais falado dessas últimas semanas.

Leiam a matéria Completa:

Em menos de duas semanas, o video ja possui mais de 1 milhão de acessos no youtube.
Música "Oração" de - A Banda Mais Bonita da Cidade

Você já viu esse filme – ou melhor, esse clipe. Alguém grava um vídeo de uma música, sem muita pretensão e, por algum motivo inesperado, começa a ser visto diversas vezes por milhares de pessoas e, em pouquíssimo tempo, vira uma modinha, e depois uma febre, e depois um fenômeno. Foi assim com o Cansei de Ser Sexy, com a Lily Allen, com Mallu Magalhães e com Rebecca Black. Uma história que, para quem vive na internet, não parecia mais ser surpresa.

Até que aparece alguém com um gravador descendo uma escada, cantarolando uma música que é só um refrão e encontra-se com um músico, mais outro músico até que chega a uma sala cheia de gente feliz e sorridente repetindo o mesmo trecho, num mantra coletivo, por seis minutos de vídeo no YouTube.
A Banda Mais Bonita da Cidade começou a aparecer na semana retrasada e em pouquíssimo tempo – menos de uma semana – já atingia o seu primeiro milhão de views no site de vídeos. Ninguém entendeu nada. Quem é essa banda? De onde ela vem? É armação? É viral de alguma marca? É uma comunidade hippie? É um exercício de cinema?

Não era nada disso. Com três anos de existência, a banda de Curitiba não é uma trupe de teatro com dezenas de integrantes, mas apenas seis amigos que reuniram outros tantos para filmar um clipe que, como afirmariam logo após acusações online, foi inspirado na versão que o site francês La Blogothèque fez para a música “Nantes”, da banda americana Beirut.

“Oração”, o clipe em questão, até o fechamento desta edição, na sexta passada, já havia atingido três milhões de views no site – e se desdobrado de forma viral tanto na briga de novos fãs contra novos desafetos quanto em remixes, mashups, paródias e todo o tipo de gracinhas típicas a um fenômeno desta categoria.

Em comum com os outros artistas citados no início do texto – e talvez um dos motivos do sucesso do clipe da Banda Mais Bonita da Cidade – há o fato de que eles não parecem ser “artistas”, no sentido mercadológico. Não há direção de arte, plano de marketing, modelo de negócios, efeitos especiais nem superproduções, o que torna a identificação com o público mais instantânea – e menos artificial.

A diferença é a velocidade. O que aconteceu durante meses com o Cansei de Ser Sexy e Mallu Magalhães, está atropelando os dias dos curitibanos. Resta saber se daqui a um mês lembraremos deles. O Ecad certamente sim. Afinal, o escritório de arrecadação de direitos autorais tem um belo problema diante de si: quanto eles devem aos curitibanos por esse tanto de view no YouTube.

Matéria: Jornal O Estado de S. Paulo

Anúncios

Google atrasa abertura de código do Android 3.0, o Honeycomb



Honeycomb é o Android feito para uso com telas maiores, como tablets (IPad, Galaxy Tab, etc) 
Android 3.0
Honeycomb, uma versão do sistema operacional do Google específica para tablets

Em sua essência, o Android é um sistema operacional de código aberto. Daqueles que os desenvolvedores têm acesso e a partir do qual podem criar suas próprias versões do mesmo. Isso era ponto passivo até o Android 3.0, o Honeycomb, uma versão do sistema operacional do Google específica para tablets. E esse seria, de acordo com uma declaração de Andy Rubin, responsável pelo Android dentro do Google dada ao jornal espanhol El País, o motivo do atraso na divulgação do código. “Para respeitar o calendário de lançamentos dos tablets, fizemos algumas concessões. Não pensamos sobre o que é necessário fazer para que o sistema funcione nos smartphones. Por isso, devemos agregar recursos e atrasar nosso calendário para além do razoável”.

O motivo do Google para não divulgar o código seria fugir de uma possível fragmentação do mercado que a possibilidade de fazer versões pode acarretar – algo já visto no mercado de smartphones. Ou seja, o Google estaria tentando evitar que alguns fabricantes peçam especificações singulares no Android, o que prejudicaria sua difusão e incomodaria os desenvolvedores, que precisariam criar adaptações no sistema operacional.

A notícia do atraso na divulgação do código aberto do Android 3.0 corre ao mesmo tempo em que circula o boato de que a Motorola estaria pensando em abandonar o sistema operacional do Google, presente no tablet Xoom, e criar o seu próprio. A estratégia da empresa, que desde 2009 trabalha em parceria com o Google, seria de se diferenciar das demais fabricantes que também utilizam o Android. Outras companhias como a HP e a BlackBerry também apostam no desenvolvimento de seus próprios sistemas. Ainda assim, nunca derrubam totalmente as pontes, como destaca o El País: o PlayBook, por exemplo, tablet da BlackBerry, poderá executar, graças a uma adaptação no sistema da empresa, os aplicativos do Android e, desta forma, desfrutar de mais de 200 mil aplicativos

 

Google exibe Wave como “e-mail do futuro”

Fonte: Info

Google exibe Wave como ´e-mail do futuro´

O Google apresentou, durante a conferência para desenvolvedores I/O, o protótipo de um novo produto chamado Wave. Sem nenhuma modéstia, o gigante das buscas definiu seu projeto como “o e-mail do futuro”.

A expressão é de Lars Rasmussen – coordenador do Wave e um dos cérebros por trás do Google Maps –  que apresentou o aplicativo online como algo que  “vai transformar o e-mail numa ferramenta integrada de colaboração, comunicação e rede social”.

Google fecha compra do Yahoo!

Saudações à todos os leitores do Blog!

Galera… Fiquei impressionado quando li esta matéria, as vezes eu fico me perguntando:
“-Como Alguém consegue cagar tanto dinheiro assim???”. Alguém ja parou para pensar o que são 100.000.000.000,00 (Cem Bilhões), não imagino o que faria com essa grana toda, mas tenho certeza que desse dinheiro, 10mil seria dedicado ao meu PC 😀

Alguem lembra da primeira oferta de compra do Yahoo??? 


Enquanto a Microsoft brigava pela compra do Yahoo! pela oferta inicial de pouco mais que US$ 48 bilhões, Google surpreende à todos ao fechar a compra por nada menos que US$ 100 bilhões. (a minha pergunta continua…)A compra ainda não foi divulgada oficialmente, mas o diretor-executivo da empresa confirmou o ocorrido acidentalmente.O Google pretende migrar todos os usuários do Yahoo! Mail para o Gmail, além de integrar o Flickr ao Picasa Web e suspender o Yahoo! Search. A home page do Google também sofrerá uma alteração para um design mais semelhante ao Yahoo!. Um jingle com a palavra “Gooooogle” também poderá ser ouvido ao clicar no logotipo.